ESPELHO

O Espelho Índio

Quarta-tutu, experimentados as passagens rápidas de estados de percepção: devagar e rápido, leve e forte, claro e escuro, indivíduo e grupo. Fomos em ondas, provocando reinvenções corporais que, ao som de George Gershwin (Concerto para Piano em Fá menor) foram se transformando em movimentos, em ações corporais, em pensamentos do corpo. De lição de casa, levamos o livro que cada tutu ganhou de Roberto Gambini, “O Espelho Índio”; e vamos preparar o capítulo “A Visão Patológica de Projeção” para a próxima semana. Depois foi só festa: conversas malucas, risadas gostosas, comida compartilhada, vinho e sorvete que ninguém é de ferro. Assim somos nós, Tutu-Marambá: Pesquisas das Artes do Corpo, em nossa arteciência de dançar a vida.

0 comments on “O Espelho ÍndioAdd yours →

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>